Não é um paradoxo nem um contrassenso. É literalmente o que estamos a fazer.

Employer Branding é um dos termos do momento. Mais um daqueles neologismos disruptivos para gerar buzz e criar hype em empresas que procuram awareness com comunicação omnichannel para gerar big data. Que mouthful.

E nesta senda do Employer Branding, a uppOut decidiu chegou o dia de despedir uma das suas pessoas.

É comum lermos notícias sobre empresas que contratam “grandes nomes” do meio, que vêm para “revolucionar o sector” e “rejuvenescer a marca”.

Como tal, hoje venho dizer que a uppOut despediu um “nome desconhecido” que a única coisa que veio revolucionar, é a forma como traz valor à vida dos outros.

“Nome desconhecido”, até hoje.

O Samuel chegou em Novembro de 2017 e não teve um primeiro dia fácil. Vestido de “sem abrigo”, foi para o recinto da Web Summit pedir registos na sua app com um pedaço de cartão.

Daí em diante, o Samuel passou a “Sam” e nunca mais teve de pedir grande coisa.

Daí em diante, o Sam foi revelando com pequenos gestos o valor que trazia à equipa: o seu coração.

O primeiro a chegar ao escritório. Todos os dias.
A pessoa que vinha cumprimentar os colegas, um a um. Todos os dias.
O primeiro a oferecer-se para toda e qualquer função que exigisse um esforço que não cabia no horário de mais ninguém. Mas cabia sempre no horário do Samuel. O colega que vivia a hora e meia de distância do escritório, arranjava forma de estar sempre presente. Todos. Os. Dias.

Pequenos gestos, construíram uma grande presença. E por isso, o Samuel não podia ser pela porta pequena.

O Sam sai ao ver a sua função ser substituída por tecnologia. Com a otimização de processos, o Sam percebeu rapidamente que a sua missão na uppOut tinha sido cumprida. Despediu-se com um muito pessoal e confiante: “vou partir tudo noutra empresa.”

E vai. O Samuel não se deixou ser despedido. O Samuel substituiu-se a si mesmo numa atitude que é 100% fiel à sua pessoa e 100% de acordo com a atitude da uppOut. Agilidade, atitude e poder de decisão.

Employer branding é criar colaboradores que temos medo de ver em empresas concorrentes. Mas mais do que isso, Employer Branding é querer que os nossos colegas tenham sucesso em qualquer empresa por onde passem.

E é isso que aqui queremos fazer. O único Employer Branding que importa. Um despedimento que merece ser promovido. E que merece uma promoção noutra empresa.

Há poucas coisas que custem mais do que dizer adeus a um recurso tão valioso. Uma delas é saber que esse recurso não está a ser aproveitado por outra empresa.

Ia pedir que quem procure uma pessoa diferenciadora, tirasse 30 minutos do seu dia para conhecer o Samuel. Mas vou ser sincero. Basta tirarem 5 minutos para saberem que todo este texto não é em vão.

O Sam ainda tem acesso ao seu email: samuel@uppout.com

Não é fácil despedir e pôr a carreira, sustento e família de alguém que gostamos em check.

O Samuel é uma pessoa especial e não nos deixou sequer passar por essa dificuldade de o despedir.

Employer Branding bem feito é quando o employee toma a atitude de proteger a empresa. Esta é a atitude com mais integridade, valor e visão que aconteceu na uppOut. E isso, não podíamos deixar no anonimato de um escritório.

Hoje despedimos e despedimo-nos.

Hoje deixas de ser um colega.

Hoje és promovido a amigo.

 

Obrigado por tudo, Samuel.

Até já.
uppOut

We are not scientists  but WE ARE CREATORS!