O meu nome é Ricardo, poucos sabem que comecei a uppOut do zero com um jovem de 75 anos ( o homem das massas e um génio .

Antes de chegar aqui, fui diretor de e-commerce da Worten e ainda me lembro que tantos me diziam “Vais deixar de ser diretor? Assim, sem mais nem menos?”.

Honestamente, o que é que é ser diretor? Ou ser padeiro?

Na verdade, o que importa mesmo é que continuemos a olhar-nos uns aos outros como pessoas, independentemente da profissão ou idade – haverá coisa mais bonita do que viver num mundo que não premeia a diferença simplesmente porque todos temos o valor de sermos nós mesmo em vez pensar no que vão dizer ou pensar os demais? 

Faço questão em transmitir uma cultura horizontal.

Por vezes estou a ter uma reunião em que estou com um CEO a decidir uma estratégia importante, mas noutras alturas também varro ruas e, por vezes, mais importante: Para o sénior não escorregar.

Acredito que temos que aprender uns com os outros e tudo é efémero.

Sim, foi um ano duro para todos… Sem excepção.

É só uma fase e com esta dedicação e paixão seguramente que vem ai algo de muito bom.

Este ano, a uppOut foi solidária: desde Março que nos focámos a colaborar com a sociedade com os projectos Acolhe: Um HeróiUm EmpresárioUma RefeiçãoUm Trabalho …

Quisemos terminar o ano em grande e neste natal trazer a VozSolidária.pt, onde a Fidelidade e a CASES convidam-no a dar uma voz a quem precisa mais.

A nível de negócio, temos que fazer dinheiro para crescer e investir e, por incrível que pareça para muitos, nós crescemos em tempo de crise, reinventámos a nossa proposta de valor, tal como muitas empresas. E digo isto para que até os mais incrédulos ou quem está mais desmotivado se relembre que sim, é possível. 

“The difference between the impossible and the possible lies in a man’s determination.”

2021 vai ser um ano brutal, porque todos vamos crescer. Unidos, com diferença, atitude, integridade, paixão e resiliência.

Juntos, vamos crescer ainda mais, vamos ajudar ainda mais, vamos fazer um mundo ainda melhor.

Não me vou alongar mais, porque no dia 25 a última coisa que quero é que alguém esteja a ler um e-mail longo.

A si e aos seus, desejo não só um feliz natal mas uma vida repleta de bons momentos,

Ricardo